História da Camisa da AS Roma

A história de mais de 2000 anos da Cidade Eterna colore em vermelho-púrpura. A luz dos céus, a presença maciça de Deus e o ouro reluzente do Império Romano a temperam em amarelo e laranja. Some a mítica loba, Rômulo e Remo e o manto do clube mais charmoso e originário da mais famosa e histórica cidade do planeta está pronto. A Associazione Sportiva Roma pode não ter a quantidade de títulos que merece, mas sua camisa e sua tradição possuem um peso simplesmente marcante no futebol italiano. Fundada em 22 de julho de 1927, a equipe construiu sua trajetória baseada em esquadrões dominantes em diferentes períodos e carrega sempre consigo uma torcida devota e apaixonada que não torce, mas ama sua Roma.

Luigi Zirolli (à dir.), durante o jogo contra o Ujpest-HUN, vencido pela Roma por 2 a 1. Foi a primeira vitória do clube em sua história, em 17 de julho de 1927.

 

Três clubes serviram como base para que a AS Roma como conhecemos hoje ganhasse forma, em 1927: o Foot Ball Club di Roma, o SS Alba-Audace Roma e o Fortitudo-Pro Roma SGS. Ítalo Foschi foi o grande responsável pela criação do clube, que foi originado para que a capital tivesse uma equipe em condições de brigar com os dominantes clubes do norte da Itália na época – além, claro, de rivalizar com o único grande clube da cidade, a SS Lazio. As cores do primeiro manto foram decididas rapidamente e tiveram como fonte de inspiração os tons da própria bandeira de Roma – amarelo e vermelho-púrpura – bem como o passado da cidade e do Império Romano. Os fundadores romanos buscaram na púrpura tíria, tinta natural extraída de caramujos marinhos e produzida desde a antiguidade pelos fenícios, a matéria-prima para a o vermelho-púrpura característico da camisa da equipe. Tal cor virou um verdadeiro ícone para o clube por ter a fama de não desbotar, ser um símbolo de nobreza e ganhar brilho quando exposta ao sol. Além dessa tonalidade, o manto ganhou frisos em amarelo e laranja nas mangas e nas golas, e o calção escolhido foi o branco, acompanhado de meias com as mesmas cores da camisa. O uniforme reserva era todo branco com meias em vermelho-púrpura e amarelo-ouro.

A equipe posada em 1927, já com a tradicional camisa vermelho-púrpura.

 

No final da década de 20, o clube ainda utilizou uma camisa listrada em amarelo e vermelho-púrpura com calções pretos e meias na mesma cor da camisa, e até uma camisa verde com duas faixas horizontais em amarelo e vermelho-púrpura, mas a partir dos anos 30 a vestimenta tradicional voltou a dominar.

Nos anos 40, a Roma venceu seu primeiro Campeonato Italiano, na temporada 1941-1942, e se tornou o primeiro clube da cidade a vencer a principal competição da Itália. Os anos se passaram e a equipe manteve-se fiel às suas cores e fez poucas mudanças, sendo uma das mais lembradas no final dos anos 70, quando a camisa Giallorossi ganhou mais presença de branco nas mangas e o laranja virou a cor oficial no manto, com o escudo representado apenas pela faceta de uma loba (e utilizado quase sempre em uniformes alternativos).

Nos anos 70, a equipe vestiu um uniforme predominantemente laranja, com a face da Loba como escudo.

 

Na década de 80, a mais vitoriosa da história do clube, o a camisa tradicional voltou acrescentada de calção também em vermelho-púrpura, além de a cor branca voltar a ser opção no uniforme no 2. Vestidos a caráter, os romanos fizeram a Cidade Eterna vibrar sem moderação com as taças conquistadas graças ao timaço comandado por Falcão, Conti, Ancelotti, Di Bartolomei, Pruzzo e muitos outros.

Falcão com a camisa da Roma nos anos 80.

 

Em 1984, ano do vice-campeonato europeu, a equipe usou uma versão branca com tons de vermelho.

 

Nos anos 90, a Roma passou por momentos sem títulos e com o uniforme sem a beleza dos tempos passados, até que, na virada do século, Totti e companhia voltaram a levar alegria às bandas do estádio Olímpico com mais um Campeonato Italiano e novos uniformes, como a vestimenta toda preta que começou a aparecer mais frequentemente a partir daquela época, camisa azul com detalhes em laranja e uma camisa mesclada em amarelo e vermelho-púrpura.

Uniforme da temporada 1991-1992.

 

Totti e o esquadrão da temporada de 2000-2001: outro uniforme icônico.

 

Após mudar de fornecedor esportivo, a equipe exibiu uniformes maravilhosos com amplo apelo ao passado.

 

 

Desde então, a loba mantém sua tradição Giallorossi e faz a alegria dos colecionadores de camisas por sempre lançar belos exemplares avessos ao excesso de invencionices, como a utilizada na temporada 2013-2014, considerada uma das mais bonitas do mundo. Com lindas camisas a cada temporada, a Roma espera refletir sua presença cênica marcante também nos resultados e voltar a ser campeã de alguma grande competição.

Este texto foi uma parceria do Imortais com o Mantos do Futebol, mais completo site brasileiro de notícias sobre camisas de futebol. Acesse este link e confira as novidades e lançamentos de todos os clubes do mundo!

 

Com as palavras-chave

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *