Os jogadores de futebol que conquistaram o poker

Denílson em momento descontraído durante o 888Live Poker Festival, São Paulo, 2017. Foto: PokerNews.

 

Artigo Especial

 

Alta competitividade, muita estratégia e grandes doses de adrenalina. Essas são apenas algumas das características que fizeram com que o poker se tornasse um dos principais esportes escolhidos pelos boleiros. Do meia-atacante Denílson ao atacante Ronaldo “Fenômeno”, o número de craques que se renderam a esse esporte nos últimos anos não para de aumentar.

O poker é um jogo para todo mundo e existem diversas estratégias para novatos, mas esses jogadores de futebol realmente se destacam no esporte das cartas e aqui vamos falar um pouco mais sobre eles.

Denílson concentrado durante partida. Foto: 888poker/Divulgação.

 

O brasileiro Denílson é um craque nacional que passou por inúmeros clubes nacionais e internacionais e conta com um longa carreira de sucesso.

O atleta começou sua trajetória no São Paulo e logo no seu ano de estreia (1994) ajudou o tricolor paulista a vencer a Copa CONMEBOL. Alguns anos depois, o meia-atacante seria transferido para o Real Betis-ESP, time no qual atuou por sete anos.

Na ocasião, a venda do passe do craque para o clube foi a mais cara do mundo e ainda hoje é uma das maiores transações da história do futebol brasileiro. O Betis pagou 31,5 milhões de dólares pelo jogador e ainda garantiu um salário impressionante para os padrões da época.

Considerando toda sua carreira no futebol, o que fica na memória é o grande número de títulos individuais e uma ótima participação na conquista de prêmios coletivos, com destaque para o seu excelente desempenho na seleção verde-amarela na conquista da Copa de 2002.

Desde sua aposentadoria dos gramados, Denílson tem se dedicado a duas novas paixões: comentarista esportivo e apresentador na emissora Band e embaixador de poker da 888poker, uma das maiores e mais respeitadas plataformas do esporte.

De acordo com o craque, sua paixão pelo esporte das cartas é antiga e diversas das suas habilidades no futebol puderam ser transmitidas para a modalidade.

“Todos os meus amigos começaram a jogar poker, então eu me tornei mais e mais interessado no jogo. Muitas das qualidades que você precisa para ser um jogador de sucesso podem ajudá-lo a melhorar seu jogo de poker.”

Quando perguntado sobre o que achava em relação ao crescimento do interesse pelo poker entre os boleiros, o atleta afirmou que “essa é uma excelente relação, pois o poker é um esporte incrível: divertido, inteligente, pura distração. Pelo que me disseram, quanto mais aprender a jogar, mais gostarei dele.” Ele só começou a jogar alguns anos atrás, mas sempre afirmou que ama a competição, bem como a estratégia e diversão.

Apesar de ainda não ter conquistado nenhum grande campeonato no esporte mental, o craque inclusive já tem um atleta de poker favorito, seu próprio treinador. “Pra mim, Bruno Foster é o melhor no poker. Além de ser meu treinador, ele está entre os melhores do mundo.”

Ronaldo concentrado em uma partida. Foto: PokerNews/Divulgação.

 

É fato que mesmo antes de Cristiano alcançar os holofotes já haviam dois Ronaldos. O que retornou após a lesão de 2000 foi um grande artilheiro, mas a versão dos anos 90 foi uma das melhores de todos os tempos.

Isso não significa que a segunda metade da sua carreira tenha sido ruim, pois foi nessa fase que veio a artilharia no caminho para a conquista do penta brasileiro na Copa do Mundo de 2002, mas foi a primeira década que sedimentou o lugar do atleta na história.

Quando sofreu sua primeira lesão em 2000, o “Fenômeno” tinha apenas 23 anos e já havia marcado mais de 200 gols pelos times em que havia atuado, incluindo uma temporada no Barcelona em que balançou as redes em 47 dos 49 jogos.

Ronaldo conquistou grandes troféus em todos os clubes em que atuou durante sua carreira e também conta com duas Copas do Mundo e duas Copas América com a seleção canarinho. Após se aposentar dos gramados, Ronaldo voltou suas atenções para o mundo empresarial com a criação de diversas empresas e passou a se dedicar ao poker, com atuações exemplares em ambas.

Ronaldo repetiu o sucesso dos campos no mundo do poker e a presença do Fenômeno no esporte das cartas proporcionou um ótimo aumento de popularidade do esporte no cenário nacional. Para se ter uma ideia, antes do seu ingresso, a Brazilian Series of Poker (BSOP), contava com uma média de 400 participantes por evento. Apenas cinco meses após a sua presença, esse número mais que triplicou para 1.500.

Em uma entrevista para a prestigiada PokerNews há alguns anos, ele afirmou que “O poker ainda está crescendo e acho que tem o potencial de se tornar como o futebol.”

Na mesma entrevista, o craque também afirmou que sua relação com o poker é antiga e dura mais de uma década. “Comecei a jogar poker quando estava no Inter de Milão em 1999 … costumávamos jogar quando estávamos em um hotel, esperando o início de um jogo. Desde então, nunca parei.”

O mais impressionante é que o atleta não se limita a participar das competições e promover o esporte. Ele também já participou de diversas competições do esporte e conquistou boas colocações. “Eu realmente não jogo mais futebol, mesmo com amigos, mas quando eu jogo poker, sou muito competitivo”, disse Ronaldo durante uma entrevista ao PocketFives. “Certa vez, joguei no Dia 1 do Main Event e perdi na primeira hora. Eu estava tão triste porque eu tinha tantas expectativas sobre jogar o torneio. No ano passado, fui ao PCA nas Bahamas e terminei no 26º lugar no Main Event de 900 jogadores. Foi fantástico. Agora, toda vez que eu jogo, eu quero ir longe. Eu quero vencer.”

Durante sua carreira no poker, o Fenômeno já conquistou mais de 45 mil dólares em prêmios e sua presença no esporte ainda deve continuar alta durante muitos anos.

Piqué em entrevista no Estádio Doha. Foto: Vinod Divakaran/CC BY 2.0.

 

Diferente de Ronaldo e Denílson que passaram a se dedicar ao poker apenas após a aposentadoria, o craque espanhol Gerard Piqué é um dos atletas que costuma dividir seu tempo entre ambas as paixões. Piqué já levantou 28 troféus com o Barcelona, incluindo sete títulos da Liga e três Ligas dos Campeões da UEFA. Além disso, ele também fez parte da equipe vencedora da Copa do Mundo em 2010.

O atleta teve uma das carreiras mais condecoradas nos últimos anos e alcançou o status de lenda aos olhos de alguns fãs. Durante esse período, o atleta também se dedicou ao poker e suas proezas no esporte das cartas são dignas de nota. Ele já conquistou mais de 275 mil dólares em competições e está entre os 100 melhores jogadores em número de prêmios da Espanha (77ª posição).

Piqué é um dos poucos que pode ser considerado um atleta competitivo em duas modalidades e suas conquistas incluem um 19º lugar, um 5º lugar e dois impressionantes terceiros lugares em eventos diferentes do renomado European Poker Tour em Barcelona apenas na última década. O atleta não demonstra nenhum sinal de que vai diminuir o ritmo em qualquer uma das modalidades e o futuro dele em ambas continua muito promissor.

Número de jogadores é impressionante

Quando eles estavam em campo, a sua capacidade de ler situações, prever o próximo movimento de seus oponentes e até mesmo antecipar o resultado de um passe particular ou outra decisão rápida eram o que fazia deles ótimos jogadores de futebol.

Essas são algumas das principais habilidades do jogo de poker e é por isso que os boleiros podem fazer a transição de seu campo para o mundo desse esporte de forma tão integrada e consistente.

Tudo isso faz do poker um dos principais hobbies dos jogadores e além dos mencionados, existem muitos outros atletas que poderiam ter sido citados. O interesse pelo esporte das cartas não para de crescer e no futuro devemos ver ainda mais craques indo direto dos campos de futebol para disputar partidas nas mesas de feltro.

Com as palavras-chave

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *