História da Camisa do Flamengo

 

Os uniformes azul e ouro vinham da Inglaterra e eram uma verdadeira coqueluche para aqueles remadores cariocas. Era impossível não vê-los em alto mar e de longe. Porém, o produto inglês não era feito para aguentar o sol e o sal brasileiros e desbotava com facilidade. Como vencer a força da natureza? Escolhendo cores tão fortes quanto ela própria e que seriam as marcas naturais de um dos maiores clubes do Brasil e do mundo: vermelho e preto, o rubro-negro tão famoso e tão vitorioso do Clube de Regatas do Flamengo.

 

Arte: Mantos do Futebol

 

Ao contrário do que muitos pensam, demorou quatro anos até que o time de futebol do Flamengo conseguisse entrar em campo vestindo a tradicional camisa listrada em vermelho e preto. Em 1912, por exigência dos atletas do remo (que não permitiam o uso do mesmo uniforme pelos jogadores de futebol), foi criada uma camisa xadrez em vermelho e preto que ficou conhecida como Papagaio de Vintém. No entanto, a camisa só trouxe azar e foi substituída, em 1913, por uma camisa com listras horizontais em vermelho e preto e frisos brancos, semelhante às cores de uma cobra coral. Como a camisa ficou muito parecida com a bandeira da Alemanha na época (país que virou inimigo mundial por causa da I Guerra), os frisos brancos acabaram sendo retirados para não causar polêmicas. Dessa vez, os remadores não se incomodaram e o Flamengo eternizou a camisa listrada rubro-negra, os calções brancos e as meias rubro-negras a partir de 1916.

O Flamengo de 1944, com camisa branca e listras horizontais no centro.

 

O Flamengo de 1954. Em pé: Garcia, Pavão, Tomires, Jadir, Dequinha e Jordan. Agachados: Joel, Rubens, Índio, Evaristo e Zagallo. Foto: Tardes de Pacaembu / museudosesportes.blogspot.com.br.

 

Em 1938, o então técnico flamenguista Dori Kruschner sugeriu a criação de um segundo uniforme, na cor branca, para “facilitar a visualização em partidas noturnas”. A nova vestimenta foi aprovada pelo clube, que se tornou pioneiro no Brasil a possuir um segundo uniforme. A camisa branca tinha duas listras rubro-negras no peito e assim permaneceu até 1979, mudando para a tradicional com listras apenas nas mangas – e que virou amuleto após o título mundial de 1981, conquistado exatamente com essa camisa. Com o passar dos anos, a camisa principal do clube sofreu poucas alterações e ora teve listras mais finas e ora mais grossas. Já a camisa número dois apenas variou com listras no peito, centralizadas ou nas mangas. O Flamengo passou a inovar mais a partir dos anos 90 principalmente em seus terceiros uniformes ou comemorativos.

Leandro e a icônica camisa do título mundial de 1981.

 

Em pé: Gérson, Henrique e Dida. Agachados: Joel e Babá. Geração pronta para recolocar o Fla na briga por títulos nos anos 1950.

 

Zico comemora no primeiro jogo da final da Libertadores de 1981.

 

O Flamengo da despedida de Zico, em 1989 – Em pé: Zé Carlos, Josimar, Júnior, Rogério e Leonardo. Agachados: Renato Gaúcho, Bujica, Zico, Zinho, Aílton e Luis Carlos.

 

A camisa de 1992, ano do título brasileiro sobre o Botafogo.

 

Festa rubro-negra na Vila, em 2011: 5 a 4 histórico e eterno com camisa clássica.

 

Em 1995, foi relançada a camisa Papagaio de Vintém em homenagem ao centenário do clube. Nos anos seguintes, a equipe chegou a jogar toda de preto, com camisa preta e menos listras vermelhas, camisa vermelha e até com a camisa azul e dourada lá do começo do século XX, mas que não caiu no gosto dos torcedores e deu um ar de “tabajara” ao time. Em 2009, o time usou pela primeira vez em 25 anos um uniforme limpo e sem patrocínio, algo que parece ter inspirado o clube a conquistar o título do Campeonato Brasileiro daquele ano (já com camisas patrocinadas).

Arte: Mantos do Futebol

 

Camisa de 2009. Foto: Mantos do Futebol.

 

Na Copa de 2014, a Alemanha vestiu rubro-negro em homenagem ao Flamengo justamente contra o Brasil. E venceu por 7 a 1…

 

Gabriel Barbosa e a camisa de 2019.

 

Desde então, o clube segue fiel a sua história e cores trajando sua inconfundível camisa rubro-negra, que caiu no gosto de milhões de torcedores espalhados pelo Brasil e pelo mundo.

 

Tem muita coisa sobre o Flamengo aqui no Imortais! Tem o esquadrão dos anos 1950, tem o timaço de Zico, tem o do Maestro Júnior, além de jogos marcantes e os clássicos contra Flu e Vasco. Clique aqui e boa leitura! 😀

Este texto foi uma parceria do Imortais com o Mantos do Futebol, mais completo site brasileiro de notícias sobre camisas de futebol. Acesse este link e confira as novidades e lançamentos de todos os clubes do mundo!

 

Licença Creative Commons
O trabalho Imortais do Futebol – textos do blog de Imortais do Futebol foi licenciado com uma Licença Creative Commons – Atribuição – NãoComercial – SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Com base no trabalho disponível em imortaisdofutebol.com.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *